Gestão do fornecedor de software e outsourcing

Alinhe os interesses do fornecedorlos com os seus

"In God we trust, all others bring data.” — W Edwards Deming.

Se o preço ou as horas na proposta são baseadas em atividades ou em componentes técnicos, sem nenhuma relação significativa com o negócio, o análise pelo cliente é pouco assertiva, seu dimensionamento está nas mãos do fornecedor e o cliente temdificuldade em contestar seus fundamentos. Os objetivos da governança corporativa levam a busca de maiores níveis de eficiência operacional, entregas com menos defeitos, ou um time-to-market mais curto. No entanto, se os fundamentos para dimensionar uma proposta são baseados no esforço, então o interesse do fornecedor está em outro lugar. Se a proposta é fruto de uma estimativa direta de horas, métricas de componentes ou em story points, então o interesse do fornecedor tende a ser maximizar as horas, os elementos de arquitetura ou histórias de usuário. A falta de alinhamento nesses interesses levam a dois cenários em espectros opostos:

Barganha

Como nas feiras livre, a barganha coloca o cliente e o fornecedor como antagonistas ao invés de coadjuvantes.

Profissionais no cliente passam a avaliar as horas em propostas técnicas como moedas em uma dimensão comercial, mesmo que não seja esse o seu papel.

Desperdício

O responsável direto pela contratação e o fornecedor estão em uma parceria, que entrega resultados.

Mas… está se pagando caro por isso? Os mesmos resultados podem ter melhores condições?

A medição de software baseada em resultados e em termos significativos para o negócio é chave para transformar esses cenários.

A maior parte das empresas não busca um sócio para dividir o ROI. A melhor representação do resultado é a funcionalidade entregue nesse ambiente. A Análise de Pontos de Função (APF) é a maneira padrão de medir ou aproximar o tamanho da funcionalidade entregue.

Somos pioneiros na medição de software para gestão de contratos. Fazemos isso desde 1994. Aliamos o expertise em análise e gestão de requisitos com métricas de software para alavancar sua capacidade de gestão de contratos de software.

Somos especialistas em Análise de Pontos de Função do IFPUG e COSMIC. Priorizamos a adoção de padrões como o SNAP (Software Non-functional Assessment Process) em complemento à Análise de Pontos de Função e também trabalhamos com diferentes tipos de UST (Unidade de Serviço Técnico) e o Roteiro de Métricas de Software do SISP.

Resultados

Redução do custo entre 20% e 30% em 80% dos casos


O simples fato de haver uma medição, que o negócio entende e pode contestar, promove uma maior cuidado nas propostas

Alinha responsabilidade com autoridade e dá transparência


O fundamento de uma proposta é o escopo compreensível pelo negócio e as metas de produtividade definidas em um nível corporativo

Menor risco operacional na aquisição pela melhor distribuição de riscos


Maior escopo, maior remuneração; a produtividade da equipe e a qualidade das entregas é um interesse da contratada

Há dificuldade em tangibilizar benefícios ou calcular o ROI em outras iniciativas para aperfeiçoar a Governança Corporativa e melhorar as práticas de Engenharia de Software. A introdução de unidades de produto na Gestão de Fornecedores alcança de maneira orgânica, simples e pragmática esse objetivo.

A chave é tirar o foco da discussão cotidiana dos bitstuffs e colocar nas features que o negócio necessita; deixando as metas de produtividade e qualidade para um acordo em nível mais alto.

Um pouco sobre como trabalhamos...

A FATTO atente serviços de Gestão de Fornecedores com o Escritório de Métricas e o Centro de Orçamento, tanto no outsourcing ou em consultoria com objetivos específicos.

Nosso Escritório de Métricas conta processo on demand de atendimento, operado por especialistas em medição (CFPS, SNAP, COSMIC) e requisitos (IREB). Estão preparados para atender todas as suas necessidades de medição de software observando as suas regras de cada contrato.

O Centro de Orçamento reúne profissionais especializados em prática de contratação, processos de desenvolvimento, metodologias ágeis e tradicionais, com profundo conhecimento no planejamento e monitoramento desses processos em uma perspectiva mais próxima ao seu planejamento estratégico.

O Centro de Orçamento dá o suporte à definição de modelos de negócio e estimativa para apoiar a aquisição de serviços de software, como o de fábricas de software ou squads ágeis.

Nossas medições são realizadas com o suporte do MESUR, o que nos permite estar preparados para responder aquelas perguntas mais críticas: aquelas que ainda não se conhece.

Aplicações

  • Avaliação e verificação de proposta de preço fixo baseada na comparação com o mercado em R$ / PF ou horas-homem / PF.
  • Avaliação e verificação dos prazos propostos usando dados de mercado e previsão de duração estimada com base no tamanho das features.
  • Monitoramento quantitativo da evolução do roadmap pela Análise de Valor Agregado (EVA); em contraste com a abordagem baseada em recursos consumidos, prazos transcorridos ou unidades com potencial de esconder problemas de desempenho como stoty points).
  • Reavaliação das estimativas do fornecedor conforme o amadurecimento do escopo a partir das features presentes em um roadmap.
  • Quantificação e organização da funcionalidade entregue em comparação à contratada como insumo em negociações finais para aceitação.
  • Identificação de cada requisito do usuário catalogado, classificado quanto à complexidade e atribuído um tamanho em pontos de função.

Um case de Gestão de Fornecedores

Uma cooperativa de saúde vinha tendo problemas com o pacote de software usado na gestão de suas operações. Isso provocava problemas operacionais e danos à sua imagem. Sua administração decide constituir uma empresa subsidiária com a missão de desenvolver uma solução de software própria mais adequada às suas necessidades.

A metodologia para o desenvolvimento da nova solução foi o Scrum. A necessidade pela prestação de contas da nova empresa e as exigências de transparência no processo são incompatíveis com métricas técnicas baseadas nos itens de backlog da equipe.

Publicações

Entrevista

Banco do Nordeste do Brasil (BNB) conta a experiência com o inventário do Baseline de Aplicações

FATTO em Foco
Ano 1 | No. 2 | Janeiro/2016

Entrevista

Utilização de Pontos de Função pela Heinson Business Technology

FATTO em Foco
Ano 1 | No. 2 | Janeiro/2016

Entrevista

Nova versão do roteiro de métricas do Operador Nacional do Sistema

FATTO em Foco
Ano 2 | No. 5 | Agosto/2017

Entrevista

As Métricas de software, pela Secretaria de Tecnologia da Informação

FATTO em Foco
Ano 1 | No. 3 | Setembro/2016

Contato










×