A Análise de Pontos de Função (APF) é atualmente um instrumento utilizado por profissionais de software e em empresas de todos os portes e segmentos da economia brasileira.

Inicialmente o foco principal de sua aplicação era em estimativas. Atualmente ainda continua sendo uma ferramenta importante em estimativas, mas também tem sido aplicada cada vez com mais sucesso como unidade de medição de contratos de software e como ferramenta na gestão de software, seja na gerência de projetos ou em níveis mais altos vinculando o desenvolvimento aos objetivos de governança corporativa.

O Livro de APF é o resultado de quase trinta anos de experiência prática dos autores na aplicação da técnica no desenvolvimento, manutenção e gestão de software; treinamento e consultoria em Análise de Pontos de Função.

O objetivo do Livro de APF é complementar o Manual de Práticas de Contagem do IFPUG, referência oficial da técnica para quem pretende utilizá-la profissionalmente e no qual boa parte do livro foi baseada.

Além disso, o Livro de APF aborda aspectos da aplicação de pontos de função em estimativas, contratação de software e sobre o processo de certificação de especialistas em pontos de função (CFPS).


Editora: Érica ISBN: 978-85-365-0452-0 Ano: 2013 Edição: 13 Número de páginas: 272
Cap. 1: Por que medir software?

Motivação
Contexto
Dilema
Recursos
Gerência de Projetos
Visibilidade
Planejamento
Controle
A Curva do Pânico
O Adiamento do Projeto
Escolhendo uma Abordagem Alternativa
O Problema Não é Só o Erro, é a Demora em Identificá-lo
Foco
Terceirização e Gestão de Contratos
Análise Make-or-buy
Seleção do Tipo de Contrato
Distribuição de Riscos
Algumas Medidas Preventivas
Iniciativas de SPI
O Que Medir?
Qual Medida Melhor Representa o Tamanho?
O que é a Análise de Pontos de Função? E o que é Ponto de Função?
Questões para Fixação
Bibliografia

Cap. 2: O mundo das métricas funcionais

Objetivo
Breve Histórico
IFPUG
Pontos de Função no Brasil e BFPUG
NESMA
Mark II
COSMIC-FFP
Padrão ISO de Medição Funcional
ISBSG
Bibliografia

Cap. 3 - O Processo de Medição Funcional

Introdução
Levantamento de Requisitos
Os Requisitos e a Contagem de Pontos de Função
Objetivos e Benefícios da Análise de Pontos de Função
Propósito da Contagem de Pontos de Função
Determinação do Tipo de Contagem
Projeto de Desenvolvimento
Projeto de Melhoria
Aplicação
O Escopo da Contagem e a Fronteira da Aplicação
Escopo da Contagem
Fronteira da Aplicação
Funções do Tipo Dado
Funções do Tipo Transação
Pontos de Função Não-Ajustados
Fator de Ajuste
Pontos de Função Ajustados
Estudo de Caso - Sistema de Controle de Ponto
Questões para Fixação
Bibliografia

Cap. 4 - Funções do tipo dado

Introdução
Definição de Arquivo Lógico Interno (ALI)
Exemplos de ALI
Não-Exemplos de ALI
Definição de Arquivo de Interface Externa (AIE)
Diferença entre ALI e AIE
Exemplos de AIE
Não-Exemplos de AIE
Definição dos Termos Utilizados
Determinação da Complexidade
Definição de Tipo de Dado (TD)
Regras de Contagem de Tipos de Dados
Definição de Tipo de Registro (TR)
Regras de Contagem de Tipos de Registro
Determinação da Contribuição
Práticas de Contagem
Dados de Código (Code Data)
Outras Entidades não Contadas como Arquivos Lógicos
Arquivos de índice
Arquivos com Dados Consolidados
Arquivos Temporários e de Passagem de Movimento
Distribuição de Dados
Visões
Entidades de Ligação
Entidades não Mantidas por Processos Elementares
O Que Fazer com as Entidades que Sobraram?
Compartilhamento de Dados
Sistema de Controle de Ponto
Questões de Fixação
Bibliografia

Cap. 5 - Funções tipo transação

Introdução
Definição de Entrada Externa (EE)
Exemplos de EE
Não-Exemplos de EE
Definição de Saída Externa (SE)
Exemplos de SE
Não-Exemplos de SE
Definição de Consulta Externa (CE)
Exemplos de CE
Não-Exemplos de CE
Definição de Termos Utilizados
Processo Elementar
Informações de Controle
Dado Derivado
Modificar o Comportamento do Sistema
Lógica de Processamento
Resumo do Processo de Contagem
Regras para Determinar se um Processo Elementar é único
Determinação da Complexidade
Definição de Arquivo Referenciado (AR)
Regras de Contagem para Arquivo Referenciado
Definição de Tipo de Dado (TD)
Regras de Contagem de Tipos de Dados
Determinação da Contribuição
Sistema de Controle de Ponto
Questões de Fixação
Bibliografia

Cap. 6 - Fator de Ajuste

Definições
Exemplo
Considerações
Diretrizes para Determinação do Nível de Influência
1. Comunicação de Dados
Considerações e Exemplos
2. Processamento Distribuído
Considerações e Exemplos
3. Performance
Considerações e Exemplos
4. Configuração Altamente Utilizada
Considerações e Exemplos
5. Volume de Transações
Considerações e Exemplos
6. Entrada de Dados On-line
Considerações e Exemplos
7. Eficiência do Usuário Final
Considerações e Exemplos
8. Atualização On-Line
Considerações e Exemplos
9. Processamento Complexo
Considerações e Exemplos
10. Reusabilidade
Considerações e Exemplos
11. Facilidade de Instalação
Considerações e Exemplos
12. Facilidade de Operação
Considerações e Exemplos
13. Múltiplos Locais
Considerações e Exemplos
14. Modificação Facilitada
Considerações e Exemplos
Questões para Fixação
Bibliografia

Cap. 7 - Cálculo do tamanho funcional

Projeto de Desenvolvimento
Fórmula do Projeto de Desenvolvimento
Projeto de Melhoria - IFPUG
Critérios para Avaliar Mudança em Arquivos Lógicos
Critérios para Avaliar Mudança em Transações
Fórmula do Projeto de Melhoria - IFPUG
Aplicação
Fórmula da Contagem Inicial da Aplicação
Fórmula da Aplicação após Projeto de Melhoria
Projeto de Melhoria - NESMA
Fórmula do Projeto de Melhoria - NESMA
Fator de Impacto de Funções Excluídas/Reclassificadas
Fator de Impacto para Arquivos Lógicos Alterados
Fator de Impacto para Transações Alteradas
Pontos de Função de Teste
Estimativa de Esforço da Melhoria
Questões para Fixação
Bibliografia

Cap. 8 - Estudos de Caso

Introdução
Contagem de Aplicação
Características da Aplicação
Diagrama Entidade-Relacionamento
Dicionário de Dados
Transações
Projeto de Desenvolvimento
Características da Aplicação
Requisitos de Conversão de Dados
Projeto de Melhoria
Estimativas

Cap. 9 - Estimativas

Estimativa de Tamanho em Pontos de Função
Contagem Dedutiva
Complexidade Média
Backfiring
A Escolha do Tipo de Contagem
Fator de Crescimento
Estimativa de Esforço
Como Começar?
Produtividade e Taxa de Entrega
Cuidado com as Relações Lineares!
Estimativa de Duração
Curva de Rayleigh-Putnam
A Região Impossível
Cuidados com a Utilização de Indicadores de Mercado
Geração de Indicadores Internos
Conclusão
Questões de Fixação
Bibliografia

Cap. 10 - Aplicações em contratos de desenvolvimento de software

Introdução
Modalidade de Contratação Homem/Hora
Modalidade de Contratação Preço Global Fixo (ou Projeto Fechado)
Modalidade de Contratação Preço Unitário
Pontos de Função como Unidade Padrão
Pontos de Função Facilitando a Comunicação
Contratação de Grandes Pacotes de Recursos
Contratação de Projetos
Decomposição do Ponto de Função por Atividade do Ciclo de Vida
Qual o Preço de um Ponto de Função?
Lembre-se do Fator de Crescimento ao Orçar!
Mediando Conflitos entre o Cliente e o Fornecedor
Conclusão
Questões de Fixação
Bibliografia

Cap. 11 - Processo de Certificação CFPS

Introdução
Programa de Certificação
O Exame
Dicas e Comentários
Exame Simulado
Parte 1 - Definições
Parte 2 - Aplicação das Regras
Parte 3 - Estudos de Caso

Glossário

https://ead.fattocs.com/mod/glossary/view.php?id=1374

Índice Remissívo
Cap. 1: Por que medir software?

Fornece ao leitor a perspectiva do contexto em que as métricas funcionais, em particular a análise de pontos de função, podem ser aplicadas nas organizações que contratam e desenvolvem softwares. São exploradas aplicações em gerência de projetos, terceirização, gestão de contratos e em iniciativas de melhoria de processos de software. Fornece também os conceitos e fundamentos básicos para a determinação dos aspectos do processo de desenvolvimento e manutenção de sistemas que devem ser dimensionados.

Cap. 2: O mundo das métricas funcionais

Apresenta um breve histórico da Análise de Pontos de função no mundo e no Brasil; comenta sobre o papel de importantes organizações de métricas no mundo, entre elas o International Function Point Users Group - IFPUG; e apresenta alguns outros métodos de medição funcional.

Cap. 3 - O Processo de Medição Funcional

Fornece uma visão geral do processo de medição e apresenta a estreita relação existente entre esse processo de medição e a devida identificação dos requisitos funcionais de um software. Os termos básicos para aplicação da técnica são definidos e a medição de um caso de uso é feita para ilustrar os aspectos teóricos de forma prática e objetiva.

Cap. 4 e 5 - Funções do tipo dado e transação

Ensinam o leitor a identificar e contar os elementos-chave definidos pela técnica. Todos os conceitos apresentados são seguidos de exemplos e casos práticos que permitem uma melhor assimilação do conteúdo.

Cap. 6 - Fator de Ajuste

Aborda os cálculos envolvidos e as descrições das 14 características gerais de sistema que influenciam a medição dos pontos de função ajustados.

Cap. 7 - Cálculo do tamanho funcional

Mostra as fórmulas utilizadas para cálculo dos pontos de função ajustados dos três tipos de contagem: projeto de desenvolvimento, melhoria e de aplicação. Também detalha melhor a abordagem de medição do projeto de melhoria de acordo com o IFPUG e de acordo com a NESMA.

Cap. 8 - Estudos de Caso

Contém exercícios de medição funcional para os três tipos de contagem de pontos de função: aplicação, projeto de desenvolvimento e projeto de melhoria.

Cap. 9 - Estimativas

Apresenta um modelo geral para o processo de estimativas de projetos e como utilizar pontos de função para produzir estimativas com razoável confiabilidade em fases iniciais do projeto. São feitas diversas considerações para o uso correto dessa importante ferramenta.

Cap. 10 - Aplicações em contratos de desenvolvimento de software

Aborda as três principais modalidades de medição adotadas em contratos de software e ilustra as aplicações da análise de pontos de função em cada uma dessas modalidades. Apresenta também um roteiro para que tanto empresas que contratam quanto aquelas que são contratadas possam estabelecer políticas que permitam um relacionamento positivo entre as partes.

Cap. 11 - Processo de Certificação CFPS

Comenta o processo de certificação de especialistas em pontos de função promovido pelo IFPUG e apresenta uma série de dicas úteis ao candidato à certificação, inclusive com um exame simulado da prova.

Carlos Eduardo Vazquez

Carlos Eduardo Vazquez é um profissional versátil com mais de 30 anos de experiência em desenvolvimento, manutenção e gestão de software corporativos. Consultor com ênfase no alinhamento da TI aos objetivos estratégicos de negócio por intermédio de métricas de software. Graduado em Processamento de Dados pela PUC Rio em 1990, desde 1991 utiliza a Análise de Pontos de Função nessas atividades e desde 1993 conduz treinamentos sobre o método e suas aplicações. Em 1996, foi um dos primeiros cinco brasileiros a obter a Certificação de Especialista em Pontos de Função – CFPS – concedida pelo International Function Point Users Group – IFPUG, instituição da qual é associado corporativo com direito a voto, tendo participado da tradução para o português da última versão do Manual de Práticas de Contagem. Em 1998, atuou como professor na UFES e fundou a FATTO com o objetivo de aperfeiçoar a gestão de software. Perfil no Linkedin disponível em http://br.linkedin.com/in/cvazquezbr.

Guilherme Siqueira Simões

Guilherme Siqueira Simões é um dos autores do livro Análise de Pontos de Função: Medição, Estimativas e Gerenciamento de Projetos de Software, o mais vendido sobre o assunto no Brasil (publicado em 2001 e atualmente na décima primeira edição). Sócio da FATTO Consultoria e Sistemas, onde atua como consultor e instrutor em serviços e cursos de medição, anàlise e estimativas de projetos de software. Atuou no desenvolvimento de toda a linha de serviços da FATTO e treinou centenas de profissionais do Brasil em APF. Participou da equipe de tradução para o Português das versões 4.2 e 4.3 do Manual de Práticas de Contagem do IFPUG. Tem mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de sistemas (oito deles em projetos de software para automação bancària). Graduado em Ciência da Computação pela UFES, pós-graduado em gestão empresarial pelo IEL/UFES e certificado como especialista em pontos de função pelo IFPUG desde 2002. Perfil no Linkedin disponível em  http://www.linkedin.com/in/guilhermesimoes

Renato Machado Albert

Renato Machado Albert  tem mais de 10 os de experiência em desenvolvimento de sistemas, graduado em Ciência da Computação pela UFES, pós-graduado em marketing e TI também pela UFES. Certificado como especialista me pontos de função (CFPS) pelo IFPUG desde 2003. Já atuou como desenvolvedor, analista e líder de equipe em projetos de sistemas nas áreas industrial, de serviços e bancária. Trabalhou por cinco anos com consultoria em gestão de projetos e atualmente é servidor público do Estado do Espírito Santo. Perfil no Linkedin disponível em http://br.linkedin.com/pub/renato-machado-albert/3/920/226

13ª edição

Todos os capítulos, exceto o primeiro, foram revisados e atualizados. A maioria das atualizações foram feitas no sentido de melhorar a explicação de alguns conceitos, reformulando frases ou parágrafos e acrescentando exemplos. O capítulo 5 ganhou as seções: "Para que serve o conceito de Processo Elementar?" e "Variações do Mesmo Processo Elementar". O capítulo 7 ganhou a seção "Custo x Benefício da Adoção do Método NESMA para Melhorias". No capítulo 8 foram acrescentados protótipos de tela para o estudo de caso do projeto de melhoria. O capítulo 10 ganhou as seções "Manutenção Corretiva" e "Como Estimar o Preço de um PF?". Além disto, o glossário foi reincorporado à edição impressa.

12ª edição

O capítulo 2 ganhou a seção "Pontos por Caso de Uso (Use Case Points)" que explica sucintamente a técnica de Pontos por Caso de Uso, fazendo um comparativo desta com APF. O capítulo 7 ganhou a seção "Documentar e Reportar a Medição" que detalha mais este passo do processo de contagem, discutindo alguns aspectos relevantes para a documentação da contagem (organização e nomenclatura das funções) para que esta tenha mais valor. O capítulo 8 recebeu pequenos ajustes nos enunciados dos estudos de caso. O capítulo 10 ganhou a seção "Dicas para Otimizar o Custo do Contrato" que traz dicas para que o cliente que trabalha com um contrato em PFs evite desperdício de dinheiro.

11ª edição

Os capítulos 3 e 5 ganharam mais exemplos e figuras. O capítulo 7 teve as fórmulas do projeto de melhoria NESMA atualizadas para a versão 2.2.1. O capítulo 10 teve atualização em todas seções; novas seções foram criadas para dar destaque no uso de deflatores em manutenções, itens não mensuráveis, guia de contagem e contratação de serviços de medição. Na seção que fala sobre o preço do ponto de função adicionamos uma tabela com os preços praticados em 20 organizações no Brasil. Também foram feitas pequenas atualizações nos capítulos 2, 4, 7, 8, 11 e glossário (que saiu da edição impressa e passou a ficar disponível no site da editora érica).

10ª edição

No capítulo 3, adicionou-se uma seção para qualificar melhor os diferentes tipos de requisitos do usuário, fornecendo orientação prática para avaliar se um documento de requisito está claro e completo o suficiente para que a medição seja feita sem a necessidade de assunção de premissas quanto a determinadas características do software entregue ou especificado atenderem a um requisito funcional ou não funcional. Foram revistos alguns gráficos, visando tornar a leitura mais agradável. No capítulo 11 foram corrigidas algumas questões que não estavam aderentes à versão 4.3 do manual do IFPUG.

9ª edição

Esta edição foi revisada para incorporar as novidades da versão 4.3 do manual do IFPUG, publicada em janeiro de 2010. O capítulo 3 (O Processo de Medição Funcional) foi alterado para refletir o novo processo de medição funcional e também ganhou novas seções para abordar as duas novas etapas do processo de medição acrescentadas pelo IFPUG: Reunir documentação disponível e Documentar e Reportar o resultado da medição. O Capítulo 4 (Funções do Tipo Dado) ganhou novos exemplos e ajuste nas regras de contagem de tipos de registro. O capítulo 5 (Funções do Tipo Transação) ganhou novos exemplos e mais explicações para melhor identificação de processos elementares. O capítulo 7 (Cálculo do Tamanho Funcional) teve suas fórmulas revisadas para ficar em acordo com a versão 4.3 do manual do IFPUG. O capítulo 8 (Estudos de Caso) ganhou um estudo de caso inteiramente novo. No capítulo 11, relativo à certificação CFPS, ajustou-se o texto para a nova realidade do exame, que passou a ser automatizado. A parte 3 do simulado deste capítulo foi inteiramente renovada.

8ª edição

Alterações nos capítulos 2 (exemplo de tabela de produtividade do ISBSG), 5 (exemplo de informações de controle, dado derivado), 7 (abordagem NESMA para projeto de melhoria), 8 (alteração nos estudos de caso com acréscimo de atributos nas tabelas de cidade e país para eliminar possibilidade de enquadramento como dados de código), atualização do glossário com mais itens (Alteração do Comportamento do Sistema, Benchmarking, Caso de Uso, Conversão de Dados, Diagrama de Contexto, Guia de Contagem, IEEE, ISBSG).

7ª edição

Alterações nos capítulos 2, 3 (conceituação de tipos de requisito e tipos de manutenção, alteração de algumas questões de fixação), 4 (novas questões de fixação), 5 (acréscimo de exemplos para processo elementar, informação de controle, mudança de comportamento do sistema, unicidade da transação, regras de contagem de TDs, mudança em questões de fixação), 11 e atualização do glossário.

6ª edição

Pequenos ajustes nos capítulos 3, 4, 5, 6, 7 e 11 e inclusão de novos itens no glossário.

5a. edição

Somente o capítulo 4 sofreu alterações.

4ª edição

Pequenos ajustes e revisões nos capítulos de 1 a 8.

3ª edição

O capítulo 4 foi reescrito e ampliado em 14 páginas com o objetivo de incorporar as atualizações da versão 4.2.1 do manual do IFPUG. Atualização das três seções iniciais do capítulo 11. Pequenos ajustes nos demais capítulos.

2ª edição

Houve apenas a correção de alguns erros que escaparam à revisão inicial e alguns poucos parágrafos foram reescritos para melhorar a legibilidade, sem alteração significativa de conteúdo.

Acesso à página com as citações do Livro de APF

Quero incluir um trabalho como citação









Durante um período de oito anos entre 2005 e 2013 mantivemos o Fórum de Leitores do Livro de APF na plataforma de grupos de discussão do Yahoo! Milhares de perguntas foram respondidas.

Organizamos síntese das discussões para o período entre 2010 e 2013 como uma fonte de pesquisa, já que o Yahoo Grupos cessou suas atividades pela Web em 2019.

Veja aqui a síntese das discussões realizadas naquele fórum:

2013

2012

2011

2010